Felicidade e Realização Profissional

Realização Profissional

Cada vez mais o tema “Felicidade no Trabalho” vem ganhando espaço nas discussões sobre a busca do trabalho perfeito. Muita coisa mudou de alguns anos para cá e as novas gerações tem uma visão completamente diferente do que aquela vivida pelos nossos pais.

Mas então “O que significa Realização Profissional?”

É uma discussão complexa que tem diversas variáveis e que depende muito do olhar de quem está opinando. Aqui vamos citar algumas situações que podem ajudar a desenvolver melhor nosso raciocínio:

  • Antes da entrada no mercado de trabalho

Neste caso a realização profissional está associada a uma expectativa de realização. Este “sonho” pode estar ligado a um objetivo menos racional (o que você quer ser quando crescer), inspirado em trabalhos que buscam muito mais o prazer e a auto estima acima de qualquer outra coisa.

Também podemos citar casos onde os pais exercem grande influência na decisão do filho(a) como numa forma indireta (e as vezes bem direta) de “pré definir” o caminho. Meu filho vai ser médico! Minha filha vai ser engenheira!

Uma outra a ser considerada esta diretamente relacionada com as expectativas de ganho financeiro. Profissões que refletem o perfil “ficar rico” acabam também por influenciar as decisões de carreira. E ai o universo é vasto variando de “jogador de futebol” a “empresário de sucesso”.

  • O primeiro emprego

Aqui vamos primeiramente definir como “primeiro emprego” aquele onde a pessoa encontra trabalho na área de sua formação (excluindo divergências que porventura possam haver por questões de necessidade de trabalho / escassez de vagas na área desejada).

A realização profissional neste caso está associada a construir uma carreira de sucesso, de ganhar e aprimorar conhecimentos, conhecer diferentes áreas, competir, viajar, interagir. Como nesta fase o profissional ainda não tem maturidade suficiente uma vez que seu “caráter corporativo” está em desenvolvimento, ele terá uma tendência maior a “aceitar” mais os modelos / situações e “questionar” menos. Ainda assim, existe nas novas gerações uma forte necessidade de ver uma rápida progressão de carreira e chegada a cargos de liderança. A falta desta sensação por muitas vezes é motivo de troca de empresa.

  • A plenitude da carreira profissional

Com experiência adquirida, tanto na prática quanto em número de cursos realizados (especializações, MBAs, línguas, etc.), aqui o profissional se encontra no ápice de sua produtividade e já tem condições de tomar decisões mais assertivas sobre seu futuro.

Neste ponto temos algumas variáveis que passam a ser fundamentais para que o profissional possa dizer se é ou não realizado profissionalmente. Entre elas o ambiente de trabalho, a ética da empresa, a agilidade dos processos, reconhecimento, diversão, etc. Neste ponto iremos encontrar profissionais altamente realizados (perfeita combinação entre os valores pessoais e os valores da empresa) e aqueles totalmente insatisfeitos.

O 2º grupo não necessariamente muda de emprego na busca de realização profissional. Por alguns fatores como medo, aspecto financeiro, tempo de empresa, etc, muitos decidem permanecer e acabam simplesmente por deixar o tempo passar, cumprindo com suas obrigações e vendo sempre a realização fora do ambiente de trabalho.

Infelizmente este é o cenário da maioria dos profissionais aqui no Brasil e no mundo. Várias pesquisas demonstram que os profissionais estão insatisfeitos com seu emprego atual, sentem-se infelizes, estressados, e muitas vezes estão abertos para trocar de empresa apenas por questões salariais.

Ter felicidade no trabalho, gostar do que faz e fazer o que gosta, passam a ser um privilégio para poucos. O modelo das empresas, a cultura, o ambiente, a liderança, não favorece que este tipo de organização apareça. Quando isto acontece passa a ser referência e sonho para muitos profissionais. (quem não se lembra dos primórdios do Google).

  • O final da carreira

Quando o profissional entra na fase final, ou seja, próximo de sua aposentadoria, a realização profissional tem outra dimensão. Dinheiro e posição já não brilham tanto aos olhos. Ajudar os outros, ensinar, passar experiência aos mais novos, passam a ser vistos como verdadeira realização profissional. A sensação de “ajudar” traz realização e felicidade. Se a empresa for inteligente, irá buscar aproveitar ao máximo esta fase do profissional (algumas infelizmente deixar passar esta enorme oportunidade, trocando estas pessoas cujos salários são via de regra mais altos, por pessoas menos experientes e mais “baratas”).

Nesta fase vemos profissionais altamente realizados enquanto outros acabam se frustrando muito. Tudo dependendo da forma como a empresa os vê e como os valoriza. Obviamente que não estamos incluindo aqui os empreendedores e proprietários de seus próprios negócios.

  • O pós carreira

Para aqueles que fecharam o ciclo, mas que ainda tem um enorme tempo de vida pela frente, a realização profissional vem em diferentes formas. Uma delas é através de usar todo o conhecimento adquirido aos longos dos anos para ajudar outras empresas. Aí entra o trabalho de Mentoria, Coaching e Consultoria. Trabalho com suas próprias empresas, eles agora têm a liberdade de escolherem seus projetos além de definirem a quantidade de dias/horas que querem trabalhar. Continuam com um alto nível de motivação e entusiasmo e enxergam neste modelo a melhor forma para se manterem ativos e buscando novos conhecimentos.

Também aqui entram os profissionais que migram para o trabalho voluntário, buscando ajudar tanto financeiramente quanto com seu próprio esforço, as áreas que mais lhe fazem sentido. Nesta área temos grandes exemplos como Bill Gates e Jorge Paulo Lemann.

Resumindo

Interessante ver as múltiplas facetas do conceito “Realização Profissional”. Algo que a princípio parece ser simples, mas tem muitos desdobramentos que vão sendo revelados a medida que os próprios profissionais vão se desenvolvendo. Considero que as novas gerações que estão chegando ao mercado de trabalho agora têm inúmeras vantagens. Pelo simples fato de terem mais claramente definidos seus propósitos de vida, conseguem selecionar melhor os caminhos por onde querem trilhar sua vida.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

<span>%d</span> blogueiros gostam disto: